quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Cadê você?

Te vejo tão perdido e ao mesmo tempo tão seguro das suas escolhas. Sei que lá no fundo as incertezas sussurram no seu ouvido e você sabe que seus passos não estão te levando pra um lugar bom para atracar. Seus olhos vibraram ao me ver, tão encantados que me deixou boba. É como eu sempre digo: a gente pode esconder tudo, menos o brilho dos olhos. Eu vi. Brilhavam como fãs.
Ainda sim procuro aquele menino, o mesmo que me encantava com sua ternura e disponibilidade, aquele que eu admirava com fervor, quem me apaixonava apenas com um sorriso. Meu parceiro, quem embarcava nas minhas loucuras e corria o risco junto. O menino carinhoso das cartas apaixonadas, das ligações inesperadas e do cuidado absoluto. Aquele que me dizia o quanto apreciava a minha companhia, que preferiu largar todos os contatinhos pra viver um amor de verdade. O play 1 que me fazia ver episódios dos seus animes preferidos. Que me incluía em todos os seus planos. Homem de verdade e não só mais um que pega geral. Procurei e encontrei-o em atitudes, pequenas, mas que me fizeram te achar em meio aquele homem um tanto quanto frio que não fazia a menor questão de demonstrar sentimento e me fez sentir mais uma na sua cama.
Em todos os beijos te procurei. Desesperadamente. Te encontrei no abraço daquela conchinha. No cuidado com a minha fome. No ciúme enrustido. Naquele beijo que te deixou excitado e nos convidou a despir nossas almas. No café da manhã preparado com carinho e regado à Coca Cola.
Te encontrei em detalhes tão pequenos, mas te encontrei. Nossa química é tão perfeita, não existe nada igual, mesmo depois de tanto tempo ainda foi como a primeira vez. 
Duvido que ela te faça sentir assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário