segunda-feira, 29 de setembro de 2014

O último suspiro de um coração

Nem sei como começar, aliais não sei por onde começar
São tantas coisas pra dizer, coisas entaladas, coisas que eu queria
Dizer olhando nos olhos, pois assim haveria verdade não que sejam mentiras, mas é que tudo seria real e não virtual.
Já disse tantas coisas, cometi inúmeros erros, não sou perfeita! Talvez não devesse mandar esse e-mail, mas não aceitaria me arrepender de algo que não fiz, então estou aqui. Tenho tentado de todas as formas esquecer tudo o que foi vivido, não sei por que eu não consigo deixar de lado ou então apagar de uma vez tudo o que mantém aberta essa ferida que não cicatriza.
É uma dor estúpida que talvez muitos julguem besteira, mas só quem passa por isso sabe o quanto dói, eu nunca imaginei nem nos meus piores pesadelos passar por tanto sofrimento, talvez eu tenha que sofrer pra ‘pagar’ por algo errado que eu tenha feito! Ou talvez isso seja pra que eu aprenda a ser forte em algumas situações.
Aquele novembro de 2008 é bem vivo em minha mente, e cada vez que alguém ou até mesmo eu relembro aquele novembro é como se um punhal me fosse cravado no peito. Achei que aquele mês fosse o melhor e de fato era pra ter sido, afinal era o meu mês e tantos planos eu tinha naquele mês e nenhum deles se concretizou. E justamente o plano que eu não tinha pra nenhum mês, algo que eu nunca planejei por pior que estivesse a situação, aconteceu.
O nosso fim, o fim de tantos sonhos que juntos a gente tinha, o fim de uma amizade tão bonita.
No começo eu pensei que não fosse suportar era um golpe muito duro, eu passava mal cheguei a desmaiar, acho que a minha imunidade estava baixa demais eu não comia, só chorava não tinha forças, meu pai chegou uma vez a chorar e me pedir pra me levantar coitado até ele não agüentava tanto sofrimento. Passei dias pensando como aquilo podia estar acontecendo, e confesso que em nenhum momento pensei que haveria volta, me custava acreditar que eu não ia ter de volta os seus beijos, os abraços em que eu me sentia segura, as brincadeiras, os cuidados, a cumplicidade que havia entre nós. Foram passando os dias e cada vez mais você me fazia falta, eu não tinha mas aquelas ligações pela manhã que me diziam: Amor, bom dia! Enfim eu não tinha você.
O tempo passou e eu tive que me adaptar a situação. Não foi fácil tive várias recaídas o pior era quando as pessoas me perguntavam de você. . . E eu não conseguia disfarçar e logo os olhos se enchiam de lágrimas e eu tinha que dizer que a gente se separou. Ficou um vazio, as músicas me lembravam você, os lugares, as fotos, as comidas. O que mais doía era reler as cartas e ver tantas promessas, ver um amor que parecia não ter fim se acabando de uma forma estranha. Larguei a faculdade, repeti três matérias foi tudo de ruim acontecendo de uma vez só, como eu poderia me concentrar na faculdade ter atenção nas provas se o meu namoro acabou na semana do meu aniversário que também era semana de provas? Só se eu não tivesse sentimento.
São tantas perguntas que eu trago em mim, pode ser que você tenha algumas dessas respostas, outras pode ser que o tempo traga as respostas e outras talvez nunca sejam respondidas.
Porque você mudou tanto?
Porque o nosso amor acabou se parecia tão forte?
Porque nem uma amizade ficou?
O que a minha família fez pra que você os tratasse com tanta indiferença?
Porque você não pode ter uma conversa comigo amigável?
São tantos porquês.

Depois de tentar falar com você algumas vezes e sendo frustradas essas vezes, pensei em algo que me faria aproximar de você algo não muito legal, mas que eu resolvi fazer. Criei a Laila, uma personagem com minhas qualidades que pudesse ser o que você não me deixava ser naquele momento: sua amiga, sempre pronta a te ouvir.
Nossas conversas eram muito sobre relacionamento, e você falava coisas a meu respeito e na maioria das vezes você falava coisas que não eram reais e eu tinha que ouvir tudo aquilo quieta, pois cada deslize meu você poderia descobrir quem realmente era a Laila. Tudo estava indo bem entre nós e você até me disse que eu estava sendo sua melhor amiga, fiquei feliz e ao mesmo tempo triste, pois eu não queria ser reconhecida como Laila e sim como Raphaela. Aquela situação já estava insustentável pra mim, eu não aceitava o fato da Laila ser tratada tão bem por você e eu era tratada com indiferença e éramos a mesma pessoa, foi quando resolvi que a Laila acabaria, primeiro eu exclui o Orkut e o e-mail, mas não sei por  que motivos o MSN ainda entrava, entrei num domingo e você estava lá resolvi que aquela seria a última conversa, você falou comigo e até demorei a responder, enfim conversamos e aquela foi a melhor conversa, te senti como quando estávamos juntos, havia cumplicidade, havia amizade entre nós.Percebi que eu te conheço nos detalhes, sabia que você não estava bem havia uma certa tristeza foi então que perguntei se andavas triste e logo a resposta vinha de encontro ao que eu já sabia e você me perguntou como eu sabia e eu não te respondi como deveria, então a resposta é que eu vejo isso através do seus olhos, e sabe eles me mostram tanta tristeza mesmo por foto isso fica tão nítido pra mim. ‘a gente pode esconder tudo, menos o brilho nos olhos’.
Chorei tanto naquele dia, senti um desespero e ao mesmo tempo senti um amor maior por você, algo inexplicável. Era como se aquele que conheci estivesse por um momento mesmo que longe comigo outra vez. Revivi o começo de tudo (stickwitu), o meio de tudo (The time of my life) e o fim (inesquecível), revivi sonhos que tivemos juntos como aquele de dançar no casamento a música do Dirty Dancing. Aquilo passou e novamente me veio o novembro, apesar de tudo me fazer crer que eu não teria você me parabenizando por mais um aniversário, algo bem pequenino como se fosse uma luz no fim do túnel me mantinha com esperança de que você ligaria ou entraria em contato de algum jeito... Já era 14 e você não me deu os parabéns, eu sofri tanto, a minha família percebeu (com certeza) eu não tinha como disfarçar e eles, coitados tentaram me animar de todas as formas, mas eles viam que algo estava errado meu semblante triste não negava isso. Sabe, eu só queria que aquele dia acabasse logo, e queria muito poder trocar a data e o mês do meu aniversário afinal tem 2 anos que eu não sei o que é comemorar um aniversário. Penso muito em ir pra outro lugar, sei lá sair do RJ assim como você fez, mas não adiantaria eu seria infeliz, eu poderia ter uma vida e até uma identidade nova, mas o problema me acompanharia, em algum momento eu lembraria tudo outra vez. Aprendi que não adianta a gente pode ir pra China, mas se não resolver o que está pendente o problema vai junto. Fico boba de pensar que eu estou sozinha até hoje, é muito tempo e durante todo esse tempo eu fui sua e de mais ninguém, ao contrário do que você pensa eu não tive outros namorados, nem mesmo ‘fiquei’ com algum homem eu estive sozinha, pois não sei ficar com uma pessoa estando com outro no pensamento eu iria me iludir e iludir a outra pessoa. Quando um homem chega em mim eu busco nele alguma coisa que eu sei que só existe em você (existia naquele que eu conheci no dia 17 de setembro de 2006)hoje não reconheço você.
Sinto tanta falta das orações que a gente fazia por telefone, ultimamente tenho sentido muuuita falta delas principalmente de madrugada quando eu não consigo dormir, às vezes dá uma vontade de ligar pra você só pra pedir pra você orar comigo pra eu poder dormir.
Tenho uma coisa que eu já te disse, mas sinto que preciso repetir, dê valor a quem te dá valor (você deve está falando: eu dou valor), mas tem certeza que você faz isso? Se a resposta for sim sua consciência não vai te cobrar, se for não algo dentro de você vai te cobrar de alguma forma!
Peço desculpas por tudo que eu possa ter feito que tenha te magoado de alguma forma, eu acho que quando a gente erra o importante é se redimir e isso muita das vezes não é tão fácil, mas graças a Deus eu estou conseguindo. Pode ter a certeza que depois desse desabafo eu me tornarei uma pessoa melhor e não serei imatura como eu fui, lembrei de uma coisa que também preciso falar, você falou que eu fiquei igual uma louca quando você terminou, fiquei assim porque a gente só vê o valor que uma pessoa tem na nossa vida depois que a gente perde talvez você não tenha ficado igual louco como eu fiquei, porque você ainda não perdeu alguém que realmente você amasse! Escrevi esse desabafo antes que fosse tarde demais, afinal depois dessa separação eu percebi que não sabemos o dia de amanhã e que a bíblia é corretíssima quando diz que o coração do homem pode fazer planos, mas que é Deus quem dá a palavra final... Tinha tantos planos e olha o que aconteceu, temos que viver um dia de cada vez e nos corrigir, fazer o que é certo antes que seja tarde demais. Não é feio ou humilhante pedir desculpas, é um ato nobre e gratificante. Quero também dizer que eu amo você, é um amor puro, daqueles que quase não existem mas! É aquele amor que não exige nada em troca.
Não sei até quando isso vai durar, mas que seja feita a vontade de Deus. Mais uma vez perdão por tudo e se você preferir que eu me afaste completamente de você é só me dizer.
Um beijo e um sorriso
Nunca esqueça EU AMO VOCÊ.