quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Quase 25

25 ou 2.5 com tudo no lugar e aquele desespero, ao acordar e perceber que os 30 tá quase aí.
Ainda me sinto aquela criança indefesa com sonhos de um mundo cor de rosa. A vida passa tão depressa e a gente não se dá conta.

Foi ontem os 15. Não costumava acreditar quando as pessoas me diziam: Olha, depois dos 15 a vida voa! É. Claro que, o corpinho é de 18 e a carinha também. Só o que ecoa é: Caramba!  Minha vida não é como imaginei, o que eu construí? Pois bem, não guardo arrependimentos a não ser um: Ter largado a faculdade. Tudo que aconteceu teve um porque, serviu como aprendizado. Tenho saudade de algumas coisas. Momentos. Pessoas. Lugares. Sensações. Durante esse tempo a vida me aproximou de tanta gente legal, me afastou das pragas ruins do caminho e ainda tem tanto pra acontecer. Esse é o barato da vida, tudo acontecendo de forma inesperada. Aos 25, desejo amadurecimento. Sempre. Sorrisos ao esbarrar com as maravilhas do caminho. Que o caminhar seja abençoado, embora, nem sempre vai ser assim, eu sei. Que meus sonhos não adormeçam e que me tragam a força necessária para realiza-los.  Se não for pedir muito, ter ao meu lado um alguém, um certo alguém. Da vida, eu só agradeço.