sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Seu erro é falar tudo o que sente e sair por aí achando que vão te olhar nos olhos e ver que algo está errado. Achar que vão enxergar essa sua imensa vontade em receber todos os afetos. Erro seu, menina!

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Talvez você nem venha mais ler minhas baboseiras, anda sempre tão ocupado e talvez até nem esteja aí pensando em mim, enquanto isso, meu pensamento tá na gente. Isso não é uma cobrança, é um desejo. Quero carinho. Beijinho. Mãos dadas. Quero aquele romântico incansável, o mesmo que me escrevia coisas lindas e mandava flores. Aquele todo preocupado em agradar mesmo que fosse com uma flor arrancada do jardim do vizinho.  Quero tanto e quero também que seja espontâneo e não só porque me deu saudade e você acabou sendo informado. São tantas coisa que dá saudade e olha que não tem tempo né? Talvez eu tenha ficado com o troféu de "chata" do ano, do namoro. Talvez a minha presença nem seja mais tão importante assim e a minha ausência tenha se tornado satisfatória. Uma pena. Pode ser que eu seja classificada como a "pegajosa" e você não entenda que isso tudo é apenas meu estranho jeito de amar.
É um "querer proteger" e querer que nada dê errado. Isso não é obsessão. É que eu sou amor em tudo aqui e talvez isso  te assuste. Não precisa ficar assim. Eu só quero poder viver com você tudo aquilo que estava até então nos planos que moravam na minha cabeça, porque eu nunca amei alguém assim do jeito que eu te amo.